aprenda inglês com vídeos

1   2   3   4   5

HOW TO BUILD A FICTIONAL WORLD

1 - In J.R.R.'s world, Gandalf is one of five wizards sent by the Valar to guide the inhabitants of Middle Earth in their struggles against the dark force of Sauron.

2 - Gandalf's body was mortal, subject to the physical rules of Middle Earth, but his spirit was immortal, as seen when he died as Gandalf the Grey and resurrected as Gandalf the White.

3 - According to the Wachowski's script, an awakened human only has to link up and hack the neon binary code of the Matrix to learn how to fly a helicopter in a matter of seconds.

4 - Or if you are the One, or one of the Ones, you don't even need a helicopter, you just need a cool pair of shades. Cheshire cats can juggle their own heads. iPads are rudimentary.

5 - No Quidditch match ends until the Golden Snitch is caught. And the answer to the ultimate question of life, the universe, and everything is most certainly 42.

6 - Just like real life, fictional worlds operate consistently within a spectrum of physical and societal rules. That's what makes these intricate worlds believable, comprehensible, and worth exploring. In real life, the Law of Gravity holds seven book sets of "Harry Potter" to millions of bookshelves around the world.

7 - We know this to be true, but we also know that ever since J.K. typed the words wizard, wand, and "Wingardium Leviosa," that Law of Gravity has ceased to exist on the trillions of pages resting between those bookends. Authors of science fiction and fantasy literally build worlds.

8 - They make rules, maps, lineages, languages, cultures, universes, alternate universes within universes, and from those worlds sprout story, after story, after story.

9 - When it's done well, readers can understand fictional worlds and their rules just as well as the characters that live in them do and sometimes, just as well or even better than the reader understands the world outside of the book.

10 - But how?

11 - How can human-made squiggles on a page reflect lights into our eyes that send signals to our brains that we logically and motionally decode as complex narratives that move us to fight, cry, sing, and think, that are strong enough not only to hold up a world that is completely invented by the author, but also to change the reader's perspective on the real world that resumes only when the final squiggle is reached?

12 - I'm not sure anyone knows the answer to that question, yet fantastical, fictional worlds are created everyday in our minds, on computers, even on napkins at the restaurant down the street.

13 - The truth is your imagination and a willingness to, figuratively, live in your own world are all you need to get started writing a novel. I didn't dream up Hogwarts or the Star Wars' Cantina, but I have written some science thrillers for kids and young adults.

14 - Here are some questions and methods I've used to help build the worlds in which those books take place. I start with a basic place and time.

15 - Whether that's a fantasy world or a futuristic setting in the real world, it's important to know where you are and whether you're working in the past, present, or future.

16 - I like to create a timeline showing how the world came to be. What past events have shaped the way it is now? Then I brainstorm answers to questions that draw out the details of my fictional world.

17 - What rules are in place here? This covers everything from laws of gravity, or not, to the rules of society and the punishments for individuals who break them. What kind of government does this world have? 

18 - Who has power, and who doesn't? What do people believe in here? And what does this society value most? Then it's time to think about day-to-day life. What's the weather like in this world?

19 - Where do the inhabitants live and work and go to school? What do they eat and how do they play? How do they treat their young and their old? What relationships do they have with the animals and plants of the world? 

20 - And what do those animals and plants look like? What kind of technology exists? Transportation? Communication? Access to information? There's so much to think about!

21 - So, spend some time living in those tasks and the answers to those questions, and you're well on your way to building your own fictional world.

22 - Once you know your world as well as you hope your reader will, set your characters free in it and see what happens. And ask yourself, "How does this world you created shape the individuals who live in it?

23 - And what kind of conflict is likely to emerge?" Answer those questions, and you have your story. Good luck, future world-builder! 

COMO CONSTRUIR UM MUNDO FICTÍCIO

1 - No mundo de Tolkien, Gandalf é um dos cinco magos enviados pelos Valar para guiar os habitantes da Terra Média em seus esforços contra o Poder Escuro de Sauron.

2 - O corpo de Gandalf era mortal, sujeito às leis físicas da Terra Média, mas seu espírito era imortal, como visto quando ele morreu como Gandalf, o Cinzento, e ressuscitou como Gandalf, o Branco.

3 - De acordo com o roteiro dos Wachowski, um humano despertado só tem que se conectar e hackear o código binário da Matriz para aprender a pilotar um helicóptero em questão de segundos.

4 - Ou, se você for o Escolhido ou um dos Escolhidos, você nem precisa de um helicóptero, você só precisa de um par de óculos bacana. Gatos do País das Maravilhas podem fazer malabarismos com suas cabeças. iPads são rudimentares.

5 - Nenhum jogo de Quadribol termina até que o Pomo de Ouro seja capturado. E a resposta para a pergunta fundamental sobre a vida, o universo e tudo mais é certamente 42.

6 - Assim como na vida real, mundos ficcionais operam de forma consistente dentro de um espectro de regras físicas e sociais. Isso é o que torna esses detalhados mundos coerentes, compreensíveis, e dignos de exploração. Na vida real, a Lei da Gravidade segura os sete livros de "Harry Potter" em milhões de estantes ao redor do mundo.

7 - Sabemos que isso é verdade, mas também sabemos que, desde que J. K. Rowling digitou as palavras bruxo, varinha, e "Wingardium Leviosa" a Lei da Gravidade deixou de existir nos trilhões de páginas descansando entre essas prateleiras. Autores de ficção científica e fantasia literalmente constroem mundos.

8 - Eles criam regras, mapas, linhagens, idiomas, culturas, universos, universos alternativos dentro de universos, e, desses mundos, surge história, após história, após história.

9 - Quando é bem feito, os leitores podem entender mundos ficcionais e suas regras tão bem quanto os personagens que vivem neles e, por vezes, tão bem ou ainda melhor do que o leitor entende o mundo fora do livro.

10 - Mas como?

11 - Como podem rabiscos feitos por um humano em uma página refletir luz em nossos olhos, que enviam sinais para o cérebro, que nós decodificamos lógica e emocionalmente como narrativas complexas que nos levam a lutar, chorar, cantar, e pensar, que são fortes o suficiente não só para manter um mundo que é completamente inventado pelo autor, mas também para modificar a perspectiva do leitor sobre o mundo real, que retorna somente após o rabisco final ser lido?

12 - Tenho dúvidas que alguém saiba a resposta a essa pergunta, porém, mundos ficcionais fantásticos são criados todos os dias em nossas mentes, em computadores, mesmo em guardanapos no restaurante rua abaixo.

13 - A verdade é que a sua imaginação e uma vontade de, em sentido figurado, viver em seu próprio mundo são tudo o que você precisa para começar a escrever um romance. Eu não inventei Hogwarts nem a Cantina de Star Wars, mas eu escrevi algumas tramas científicas para jovens e crianças.

14 - Aqui estão algumas perguntas e métodos que eu usei para ajudar a construir os mundos em que esses livros acontecem. Eu começo com um local e tempo básicos.

15 - Seja um mundo de fantasia ou um cenário futurista no mundo real, é importante saber onde você está e se você está trabalhando no passado, presente, ou futuro.

16 - Eu gosto de criar uma linha do tempo mostrando como o mundo veio a existir. Que eventos passados o moldaram? Então, eu penso nas respostas às perguntas para delinear os detalhes do meu mundo ficcional.

17 - Que regras estão em vigor? Isto cobre tudo, desde leis da gravidade (ou não) às regras sociais e as punições para os indivíduos que as quebram. Que tipo de governo esse mundo tem?

18 - Quem tem poder, e quem não tem? No que as pessoas acreditam aqui? E o que essa sociedade valoriza mais? Em seguida, é hora de pensar sobre a vida do dia a dia. Como é o clima nesse mundo?

19 - Onde os habitantes vivem, trabalham, e estudam? O que eles comem e como eles brincam? Como eles tratam seus jovens e seus idosos? Quais as relações que eles têm com os animais e plantas do mundo?

20 - E os animais e as plantas se parecem com o quê? Que tipo de tecnologia existe? Transporte? Comunicação? Acesso à informação? Tem tanta coisa para pensar!

21 - Então, gaste algum tempo nessas tarefas e nas respostas a essas perguntas, e você está no caminho certo para construir o seu próprio mundo ficcional.

22 - Depois de conhecer o seu mundo tão bem quanto você espera que o seu leitor vá conhecer, liberte seus personagens nele e veja o que acontece. E pergunte a si mesmo: "Como esse mundo que você criou molda as pessoas que vivem nele?

23 - E que tipo de conflito é provável que surja?" Responda essas perguntas, e você tem a sua história. Boa sorte, futuro construtor de mundos!

MAIS VIDEOS EM INGLÊS